Os Primeiros Filósofos e o Primeiro Cinema

A filosofia é um dos campos de conhecimento mais antigos da humanidade, citado como “a mãe de todas as ciências”. E o cinema, uma das artes mais recentes, provou-se uma das mais tecnológicas, pedagógicas e lucrativas criações da humanidade. Mas como surgiu a filosofia? E como surgiu o cinema? Essa é a discussão do CinePhilo essa semana, elencando nomes, momentos e eventos fundamentais para a construção da filosofia como campo de conhecimento e para a formação do cinema como arte! Venha com a gente nessa viagem no tempo!

Metrópolis e as Classes Sociais

Metrópolis é um clássico do cinema mudo lançado em 1927, com direção de Fritz Lang e roteiro de Thea Von Harbou. O filme foi um marco do expressionismo alemão, cinema que moldava cenários à uma percepção distorcida de realidade. Também é uma semente inicial da ficção científica distópica, que faz muito sucesso hoje em dia. E é essa última categoria que nos interessa hoje. Na cidade fictícia onde o elitismo é verticalizado, como o filme se conecta ao conceito de classes sociais? É a discussão de hoje do CinePhilo!

Arquivo X e o Ceticismo

David Hume foi um filósofo escocês do século 18 que popularizou o empirismo e o ceticismo, tornando-se com isso um dos nomes mais populares do iluminismo. O ceticismo é uma ideia que prega que é impossível atingir alguma certeza a respeito da verdade. Já no final do século 20, o debate ressurgiu nas telas da TV através de dois agentes do FBI, o crente Fox Mulder e a cética Dana Scully, que investigavam fenômenos paranormais que supostamente não existem. Nessa semana, Joel acha que a verdade está lá fora e Bernardo quer acreditar. Vem desconfiar dos OVNIS com a gente! 

Zé do Caixão, o Super-Homem Brasileiro

19 de fevereiro é um dia de saudades para os fãs de cinema nacional e de horror. O dia marcou a partida há um ano atrás do celebrado José Mojica Marins, o Zé do Caixão. O diretor e ator paulista criou uma persona para si a partir do clássico À Meia-Noite Levarei Sua Alma (1964). O marco do cinema nacional mostra a história de um coveiro ateu obcecado em ter o filho perfeito. Como podemos relacionar a obsessão de Zé do Caixão com as ideias de Friedrich Nietzsche sobre o übermensch, ou super-homem? É o que Bernardo e Joel tentam responder ao lado do do historiador, montador e fã Ted Rafael!

A Vida de Brian e o Ateísmo

Ho, ho, ho! O CinePhilo comemora neste 24 de dezembro o nascimento do vizinho de manjedoura de Jesus: Brian Cohen, protagonista de A Vida de Brian, segundo filme do grupo cômico inglês Monty Python e que causou um verdadeiro escândalo à época. Joel e Bernardo aproveitam o clássico da comédia para discutir sobre o ateísmo contemporâneo  e como o riso pode questionar o senso comum. Vem pensar e rir com a gente e, aproveitando, tenham um feliz solstício de verão e uma próspera nova translação! 

Edward Mãos de Tesoura e os Anormais

Dirigido por Tim Burton em 1990, Edward Mãos de Tesoura é uma fábula moderna que explora a intolerância que a sociedade tem pelo diferente, aos moldes de clássicos como Frankenstein e O Monstro da Lagoa Negra. Como podemos relacionar o filme do homem com tesouras no lugar dos dedos com o conceito de anormalidade que Michel Foucault explicou em curso durante a década de 70? É a discussão dessa semana no CinePhilo! 

Blade Runner e a Finitude em Heidegger

A única certeza da vida é que não sairemos vivos dela. Esse é um dos conceitos-chave na obra do filósofo Martin Heidegger e também uma das principais temáticas do clássico da ficção científica Blade Runner – O Caçador de Andróides. Dessa vez, Joel e Bernardo discutem que relações podemos traçar entre duas obras sobre criaturas perdidas que buscam o significado da existência. Vem discutir com a gente! 

Matrix e a Caverna do Platão

Lá em 1999, as irmãs Wachowski entraram para a história do cinema com seu Matrix, um filme que funde conceitos filosóficos com a narrativa do cinema de ação. Pensando por esse lado, que relações podemos traçar entre a saga de Neo para livrar o mundo das máquinas com o mito da caverna de Platão? A relação mais famosa entre o cinema e a filosofia é o tema da vigésima edição do CinePhilo!

A Bruxa e a Vontade de Poder

A Bruxa foi um filme que fez barulho em 2015 com sua atmosfera desafiadora que causou reações bastante adversas. Além disso, o filme contava uma história sobre desejo e repressão religiosa que atraiu muitos. Como esses temas se entrelaçam com os escritos de Nietzsche sobre a Vontade de Poder? É a discussão dessa semana do CinePhilo! 

V de Vingança e o Facismo

V de Vingança é uma minissérie escrita por Alan Moore que trouxe uma dimensão política revolucionária aos quadrinhos, dando origem a um filme que virou símbolo de indignação na cultura pop. Como podemos usar essa distopia para discutir o ideário dos movimentos fascistas? É a discussão de hoje do CinePhilo, seu podcast de cinema e filosofia!